Arquivo | Cultura sem juízo

Contos, crônicas, poesias de uma turma legal.

….Cultura Sem Juízo: as penas da lei….

Dedico este espaço para os contos, crônicas, poesias e outras traquinagens que recebo dos amigos da lei que pensam o direito, mas não só. E também para alguns que eu mesmo cometo. Compartilhe a sua arte legal com os leitores do Sem Juízo*, ou apenas aprecie. Certas Canções: Chico ou Caetano Nada menos que a […]

Leia mais

….as loucuras do juridiquês….

A respeitável sentença está nula… se era respeitável, por que não a respeitaram? Para quem entende e para quem não entende o linguajar jurídico. E, sobretudo, para quem ainda não sabe as consequências de sua utilização no dia-a-dia. O delicioso conto que segue é do escritor e procurador aposentado José Américo Rodrigues Gomes dos Santos […]

Leia mais

….aberratio ictus….

E, afinal, houve ou não houve aberratio ictus? Um juiz impaciente e uma vítima que recebeu um golpe que talvez não fosse para ela. Quem destrincha esse “erro na execução”, é José Américo Rodrigues Gomes dos Santos, procurador do Estado aposentado e escritor em plena atividade. Aberratio Ictus Aberratio ictus, como ninguém ignora, já que […]

Leia mais

….Certas Canções: o romance das Diretas….

Certas Canções é um diário político-sentimental de um estudante nos anos 80. Conheça um trecho sobre a passeata das Diretas no Anhangabaú A páscoa judaica era comemorada há milhares de anos e eu podia me lembrar dela no ano seguinte com a reverência que merecia, sem incidir em nenhuma transgressão. Afinal, também nós fazíamos um […]

Leia mais

….esse desconhecido….

Pedras insensatas arremessadas sem remorso nem piedadeSobre as almas dos inocentes O poema que segue é de autoria de Djalma Lofrano Filho, juiz criminal em SP, amante das artes, das letras e proprietário de uma enorme sensibilidade. A tensão constante entre meditação e ansiedade é um tema que lhe aflige. Esse desconhecido Procuro-o por toda […]

Leia mais

….nascimento e morte numa audiência criminal….

Viver o direito é também sentir O texto que segue é do advogado Tadeu Francisco e foi extraído de seu Blog Fragmentos (das minhas vírgulas, dos meus pontos, dos meus contos). – O nascimento e a morte – Relatos de uma audiência criminal Hoje presenciei um nascimento e uma morte. Como a vida me soou […]

Leia mais

….Roubaram o Chimbal do Ringo….

“Roubaram a perua da mãe do Jhonny. Levaram até o chimbal do Ringo” O conto que segue, Festival de Rock está no livro “Roubaram o Chimbal do Ringo” (SSUA-Editora), de autoria de Jurandir Pinotti*, e justamente o que lhe dá o nome. Jura foi juiz e hoje é advogado. Mas sempre um belo escritor. Confira: […]

Leia mais

….soneto da depressão….

Juiz, professor e um poeta sensível. O baiano Rodolfo Pamplona Filho mostra que conhece muito além da lei. O poema que segue vem de seu Blog. A Tristeza que corrói (Soneto da Depressão)Rodolfo Pamplona Filho Muitas vezes, falta-me o fogosem qualquer motivo aparente,como um vazio que preenche o todo…como uma saudade do presente… É uma […]

Leia mais

….papoulas vermelhas…

Vale a pena ler o conto ainda inédito de José Américo Rodrigues Gomes dos Santos. Cultor da língua como poucos, de rara sensibilidade, neste belo texto, ele reinventa a vida dos sentidos depois da vida. PAPOULAS VERMELHAS Fui morto com seis tiros nas costas numa tarde de outono e calor, embaixo de uma macieira. Não […]

Leia mais

….o juiz julga a si mesmo….

Juiz e poeta de rara sensibilidade, Denival Francisco da Silva* inspira-se em Mário Quitana (O poeta canta a si mesmo) para iluminar o ato de julgar O JUIZ JULGA A SI MESMO O juiz julga a si mesmoporque é nele os olhos morais,tem os rancores e valores detempos vencidose toda carga dos preconceitos sociais. O […]

Leia mais