….o frio (Rafael Fernandes Semer)

 

cultura sem juízo

 

 

A sensibilidade, hoje, se deve ao Rafael Fernandes Semer e o trabalho que apresentou para o Poema de Resistência, na Escola Carlitos. Com apenas 14 anos, ele ainda não é da turma legal; mas é um agregado do direito e, como se pode notar, dos direitos.

 

 

O FRIO

 

 

Um homem anda sozinho na rua

Seus pés, frios

O mundo, frio

Frios são os corações das pessoas

Que não se incomodam mais

Em ver o sofrimento

Um corpo

Uma carcaça

Um animal fora da manda

Fora de seu bando

Definhando

Andando

Sozinho

 

Sob seu manto

Um cobertor rasgado

Encolhe-se em um canto

Numa caixa de papelão

Frio é seu coração

Que perdeu a esperança na vida

Frias são as pessoas

Que pela manhã

Recolhem seu corpo

E o enterram em uma vala comum

Um indigente

Um qualquer

Mais um ninguém

Aquele maluco gritando na esquina

Aquele traste que bebe pela manhã

Para esquecer

 

Fria é a vida daqueles

Que não têm nada para se aquecer

 

 

Um comentário sobre ….o frio (Rafael Fernandes Semer)

  1. Mateus 3 de maio de 2016 - 13:13 #

    Rafael semer

Deixe uma resposta